terça-feira, 10 de maio de 2011

Perdas...

 Imagem da internet.

Muitos dizem que perder os cabelos é o de menos. Diante da situação de vida e morte, realmente é o de menos, mas os cabelos nos dão identidade e fazem parte dela. Em um primeiro momento não foi tão difícil perdê-los, mas no dia a dia, estando viva, foi difícil e ainda está sendo a adaptação.

Diriam alguns: "que absurdo pensar em cabelos com uma doença tão grave!" Mas não é tão absurdo assim. Passamos por muitas perdas, perdemos o controle sobre o nosso dia a dia e a doença assume esse controle. Perdemos nossa rotina. Perdemos o convívio, a liberdade de andar em público. Perdemos a confiança em nós mesmos, pois não sabemos nem se continuaremos a fazer parte do mundo. Perdemos até mesmo nosso direito de fazer opções. A doença toma conta de tudo! Então, perder os cabelos e também sobrancelhas e cílios revoluciona a nossa imagem. Mexe com nossa autoestima e segurança. Significa uma reconstrução de nós mesmos diante do que vamos aparentar aos outros.

Mulheres que estejam passando por isso ou já passaram entenderão perfeitamente meu relato.

Apesar de ser tão difícil estou me adaptando e para isso tenho contado com o apoio e o carinho daqueles que amo. Tenho me virado com uma peruca, faixas e lenços. Dá para ficar bonita com alguns acessórios e devagar vou reconstruindo minha imagem.

10 comentários:

  1. Cida,meu pai (Devanir) passou seu blog para que pudéssemos acompanhar de "perto" um pouquinho da sua nova história.
    Saiba que estamos torcendo por você, e esperando sempre mais vitórias, que já foram muitas, como pude notar no decorrer no seu blog..
    Tambem queria comentar que grande parte destas vitórias deve se dar a você lidar tão bem com o seu emocional, que é crucial para esta doença...
    Muita força, e alegria sempre!!


    "Metade de mim agora é assim, de um lado a poesia o verbo a saudade, do outro a luta, a força e a coragem pra chegar no fim. E o fim é belo, incerto... depende de como você vê!"
    [Fernando Anitelli].

    Cristiane.

    ResponderExcluir
  2. Oi Cida! Será que vai se lembrar de mim? Sou a Viviane, e trabalhei na Ativa informática com vocês há alguns anos.Estava lendo um artigo na internet e te achei! Acabei lendo sua história e achei linda sua forma de contá-la. Seu jeito de ver as coisas é maravilhoso e é exemplo de força! Só queria dizer que estou na torcida, desejando tudo de melhor e que você vai vencer essa fácil, fácil!

    ResponderExcluir
  3. Oi Viviane, como esquecer você? Nos lembramos sempre do seu bom humor... Eu estou indo bem e, se Deus quiser, vou vencer! Vou te pedir para escrever no meu e-mail cida.ufmg@gmail.com pois queremos muito saber notícias suas!!! Grande beijo.

    ResponderExcluir
  4. Cristiane, sei que sua mensagem não está ai acima, pois o blog ficou fora do ar um dia e sumiu com ela. Mas eu cheguei a vê-la e queria te agradecer e a todos da sua família pela torcida. O Devanir é um amigo muito querido e foi muito bom recebê-lo aqui. Grande beijo e continue torcendo e rezando, ta?

    ResponderExcluir
  5. Cida
    Acho seus relatos muito verdadeiros pois consigo entender o que você está contando e te admiro por escrever com tanta lucidez e coragem, acho que isso é ter controle das suas emoções, e não acho que a maioria das pessoas teria essa coragem.
    Eu faço terapia há algum tempo e acho que o seu jeito de contar o que se passa, escrevendo, é uma forma de terapia e você consegue lidar com a situação pois toca nos assuntos que está vivenciando.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  6. Oi Vanessa, é exatamente isso. Acredito que escrever me ajuda a passar por tudo. Tenho momentos em que não estou tão para cima, mas tenho consciência plena deles e sei que vão passar. Obrigada pelo depoimento. Muito bom!. Grande beijo

    ResponderExcluir
  7. Oi Cida.

    Rodrigo me passou seu blog.
    Tenho certeza do sucesso de seu tratamento, pq a mão de Deus acolhe seus filhos que tem fé. Bjjss
    Nísia Villela

    ResponderExcluir
  8. Oi Nísia, que bom ter sua torcida e sua companhia por aqui. Graças a Deus tem dado tudo certo e chegaremos lá! Grande beijo!Cida

    ResponderExcluir
  9. Yolanda Antonialli13 de agosto de 2011 20:15

    Oi Cida querida amiga, que pena não estar mais na UFLA com a gente, mas sei que vc está ótima junto com o maridão e os filhos lindos, tenho lindo seus relatos e te digo me emociono muito, vc é uma pessoa especial, uma mulher forte, inteligentíssima, me lembro de um curso de capacitação que fizemos na UFLA, vc danada acertava todas as questões tanto de matemática , quanto de português, vc é danada menina, e com certeza vai vencer essa batalha, vc é uma vitoriosa amiga, além de rezar eu torço e te admiro muito, fique com Deus.
    bjus

    ResponderExcluir
  10. Yolanda, também me lembro muito do curso que fizemos juntas. Bons tempos, não é? Também admiro muito você e sua família e gostei de ter te achado no facebook. Sinto saudades da UFLA, mas ter vindo para BH foi providencial, pois o tratamento por aqui é mais fácil. Graças a Deus estou mesmo vencendo esta batalha e agradeço muito pelas suas orações e pela torcida. Beijos especiais. Cida

    ResponderExcluir

Seja bem vindo e não esqueça de colocar seu nome no final do comentário.